A oração do Pai Nosso (parte 4) – “Venha a nós o vosso Reino”



20 janeiro, 2014


Em continuação à meditação do “Pai-Nosso”, segundo o papa emérito Bento XVI, do livro “Jesus de Nazaré”, vamos meditar sobre o segundo pedido do Pai-Nosso: “Venha a nós o Vosso Reino”.

Se pedimos que o Reino de Deus venha até nós, reconhecemos, antes de mais nada, o primado de Deus, ou seja, Deus deve ocupar o primeiro lugar. Onde Deus não está nada pode ser bom. Se Deus não é presente, o mundo do homem se arruína; se arruína o mundo todo. Neste sentido, o Senhor mesmo nos diz: “Buscai, antes de mais nada, o Reino de Deus e a sua justiça, e tudo o mais vos será dado” (Mt 6,33). Estabelece-se assim, com esta passagem da escritura, uma ordem de prioridade para o nosso quotidiano: Deus acima de tudo.

Deus não nos promete uma terra de delícias por desejarmos o Reino de Deus, nem mesmo no caso de sermos piedosos. É utopia pensar que uma sociedade funcione bem sem classes sociais, uma sociedade sem propriedade privada. Jesus não fornece receitas tão simples. Jesus estabelece, sim, como foi dito, uma prioridade: o Reino de Deus, ou seja, a soberania de Deus, o governo de Deus, ou ainda em outras palavras, o cumprimento da Sua vontade. Viver sob a vontade de Deus sim, cria justiça: damos a Deus o direito sobre nós e encontramos a medida do direito entre os homens.

A ordem das prioridades que Jesus nos indica pode levar-nos a recordar uma passagem do Antigo Testamento, no que se refere à primeira oração de Salomão após se tornar rei. O Senhor apareceu-lhe em sonho, dizendo-lhe que poderia pedir o que quisesse e lhe seria concedido. Eis o sonho da humanidade: pedir o que quiser… Mas qual o pedido de Salomão? Eis seu pedido: “concede ao teu servo um coração que ouve, para que ele governe o teu povo e seja capaz de distinguir o bem do mal” (1Rs 3,9). Deus se alegra com Salomão e o louva porque não pediu riqueza, nem poder, nem honra, nem a morte dos seus inimigos, nem longa vida, mas pediu um coração capaz de ouvir; pediu a capacidade de distinguir o que é o bem do que é mal. Obtendo isso, Salomão obtém todo o resto. Com o pedido da vinda do Reino de Deus, o Senhor quer nos introduzir nesse tipo de oração: o Reino de Deus acima de tudo. Para isso é necessário ter um coração que escute e pratique a vontade de Deus; é necessário que Deus domine.

Jesus Cristo é o Reino de Deus em pessoa. Onde Jesus está, aí também está o Reino de Deus. O pedido de um coração que ouve, torna-se o pedido de um coração em comunhão com Jesus Cristo, o pedido de ser cada vez mais “um só” com Ele. “É o pedido pelo verdadeiro seguimento, que se torna comunhão e que nos torna um corpo com Ele”.

Enfim, pedir para que o Reino de Deus venha até nós, significa dizer a Jesus: Deixa-nos ser teus, Senhor! Participa da nossa vida, viva em nós, reúne toda a humanidade que está dispersa no teu corpo, para que tudo, em Ti, seja submetido a Deus Pai e Deus possa ser tudo, em todos.

Adilson Angolini – Oblato Corpus Christi


COMPARTILHE ESTA PAGINA


Deixe um comentário

     
 Notícias

  14 dez, 2015
Papa abre a Porta Santa da Basílica de São João de Latrão

  13 dez, 2015
Pais perdem guarda dos filhos por serem “muito cristãos”

  13 dez, 2015
Bispos norte-americanos pedem ação urgente contra ‘pecado mortal’ da pornografia

  21 abr, 2015
O número de católicos aumentou 12%


 O que estamos fazendo
 
  1 nov, 2016
… para a galerinha de 08 a 10 anos

  29 jun, 2016
Não perca!