Todo aquele que faz a vontade do meu Pai é meu irmão



16 julho, 2013


Evangelho (Mt 12,46-50)

Naquele tempo, enquanto Jesus estava falando às multidões, sua mãe e seus irmãos ficaram do lado de fora, procurando falar com ele. Alguém disse a Jesus: “Olha! Tua mãe e teus irmãos estão aí fora, e querem falar contigo”.

Jesus perguntou àquele que tinha falado: “Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?” E, estendendo a mão para os discípulos, Jesus disse: “Eis minha mãe e meus irmãos. Pois todo aquele que faz a vontade do meu Pai, que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe”.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Queridos Irmãos, Graça e Paz!

A liturgia de hoje, nos mostra que Deus está profundamente ligado ao seu povo; por isso, o povo pode rejubilar-se com a presença divina e que a família de Jesus é formada por todos os que vivem a vontade do Pai.

A leitura de hoje nos mostra também a palavra “Mãe” repetida cinco vezes, pois a mãe como geradora e a base da família, tem um papel fundamental.

Maria Mãe de Jesus, aos pés da Cruz, houve Jesus dizer a João e a ela mesma, Maria, “Mulher, eis aí teu filho. Filho eis aí tua mãe”.

Enquanto a pureza religiosa representada por sua Mãe, procurava falar com Jesus, o mesmo se opõe o contato com elas, dizendo ou perguntando. Quem é minha mãe e quem são meus irmãos?

Lembrando que naquele tempo em hebraico-aramaico, só se dizia irmão e não se dizia tio, primo, sobrinho, mesmo no Antigo Testamento quando Abraão diz a seu sobrinho Lot: “Peço-te que não haja rixas entre mim e ti, visto que somos Irmãos. (Gn 13,8).

Jesus nos mostra que todo aquele que cumpre a vontade do Pai são seus irmãos.

E qual é a vontade do Pai? Podemos encontrar esta resposta, quando dizemos na oração do Pai Nosso, “Seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu”.

A vontade do Pai está expressa na revelação feita por Jesus que nos leva a caminho da santidade, o problema é fazer nossa vontade coincidir com a vontade de Deus; fazê-la coincidir com sua lei, com o Evangelho, com os Mandamentos, com as inspirações do Espírito Santo, que nos fala de todos os modos, todos os dias e que nos fala sempre através de nossa consciência.

Dizer “Sim” a Deus, eis a santidade. Levantar-nos sempre e recomeçarmos cada dia, cada instante, esforçando sempre para fazer a vontade de Deus, porém muitas vezes queremos que coincidam com as nossas vontades, que são movidas pelo egoísmo e pelas paixões.

Deus revela sua vontade através da criação, da consciência humana do conhecimento do bem e do mal, através da Bíblia e por seu filho Jesus, que se encarnou e nos deu como garantia de sua presença o Espírito Santo para dar continuidade à sua igreja.

Referências Bíblicas: Bíblia Ave Maria

Liturgia Diária Junho de 2013 Edições Paulinas

Paz e Bem,

Valter Evaristo Gonçalves
Oblato Corpus Christi



COMPARTILHE ESTA PAGINA


Deixe um comentário

     
 Notícias

  14 dez, 2015
Papa abre a Porta Santa da Basílica de São João de Latrão

  13 dez, 2015
Pais perdem guarda dos filhos por serem “muito cristãos”

  13 dez, 2015
Bispos norte-americanos pedem ação urgente contra ‘pecado mortal’ da pornografia

  21 abr, 2015
O número de católicos aumentou 12%


 O que estamos fazendo
 
  1 nov, 2016
… para a galerinha de 08 a 10 anos

  29 jun, 2016
Não perca!