A verdadeira decisão



28 setembro, 2016


Comentário do Evangelho do dia 27/09/2016
Quarta, 26ª Semana Comum (Mt 9, 57- 62)
Mariana Pacca Louzada – Discípula Corpus Christi


O seguimento de Jesus é muito mais que sentimento, ou algo impulsivo. Costumamos pensar que a força de uma paixão, que é baseada no sentimento, é umas das maiores forças que se pode haver, pois com ela nos tornamos corajosos, destemidos, otimistas, enfim. Mas erramos ao que basearmos uma decisão tão sérias em mero sentir.

No começo da caminhada é até necessário que façamos uma experiência de sentir Deus, de nos emocionarmos, de sentir sua presença e coisas assim. Mas para que o seguimento permaneça sendo nosso querer, ele precisa de algo muito maior.

É por isso que Jesus mostra aos três homens que encontra no Evangelho de hoje que vai muito além do querer. Seguir os passos do Senhor exige de nós amor; no começo dessa meditação eu falei sobre paixão, que ela não é suficiente, mas o amor sim tem força para ir até o fim.

Amor é decisão, e por isso que ele é o único que aguenta o tranco. O próprio Jesus diz que deve haver renúncias nesse caminho, pois o filho do homem não tem onde repousar a cabeça. Não é um caminho fácil, mas com certeza é o melhor.

Esse Evangelho nos traz um ensinamento, de não tomarmos as maiores decisões de nossas vidas baseadas no que estamos sentindo. Quanto mais colocar o nosso seguimento a Deus alicerçado em areia. Devemos ser prudentes. Seguir Jesus é algo impossível de ser descrito com palavras, só sabe a dimensão maravilhosa que se vive quem realmente se lança nesse desafio. Mas sem dúvida há descrições que nos ajudam a perceber um pouco a graça que experimenta quem vive esse seguimento. Experimenta-se um despojar de si meso, dos sentimentos que tantas vezes confundem, vive-se uma liberdade jamais experimentada em qualquer outro lugar. Aprende-se a conhecer-se profundamente, e muito mais que isso, aprende-se a conhecer a Deus verdadeiramente e vai se percebendo que Ele é muito, muito mais maravilhoso do que se diz por aí.

Essa decisão, alicerçada no mais profundo de nós vai nos dando suporte para permanecer no Senhor, mesmo quando os sofrimentos batem com força total em nossa porta; ela nos mantém em pé quando nos decepcionamos com nós mesmos e com os outros, e por vezes com Deus, pois em nós ainda há a vontade de viver o prazeroso e passageiro, e o Senhor querendo nos dar muito mais que isso, nos frustra. Essa decisão vai então nos libertando do mundo, nos fortalecendo em Deus, nos lapidando e trazendo à tona nossa imagem e semelhança de Deus. É o amor que vai ganhando terreno em nós e nos tomando por inteiro, nos transformando Nele.

Essa nossa vontade é sustentada pelo próprio Deus, de nossa parte cabe achá-la e abraça-la e então teremos a graça de conviver profundamente com o Senhor, seguir seus passos, vivermos a verdadeira liberdade e felicidade.

Venha Espírito Santo de Deus nos ajudar a sairmos do raso, aprofunde-nos, Senhor, em nós mesmos e em Ti, para que possamos te seguir, não baseados naquilo que vai passar, mas baseados na decisão e força que o Senhor colocou em nós. Amém.



COMPARTILHE ESTA PAGINA


Deixe um comentário

     
 Notícias

  14 dez, 2015
Papa abre a Porta Santa da Basílica de São João de Latrão

  13 dez, 2015
Pais perdem guarda dos filhos por serem “muito cristãos”

  13 dez, 2015
Bispos norte-americanos pedem ação urgente contra ‘pecado mortal’ da pornografia

  21 abr, 2015
O número de católicos aumentou 12%


 O que estamos fazendo
 
  1 nov, 2016
… para a galerinha de 08 a 10 anos

  29 jun, 2016
Não perca!